Carta aos líderes mundiais

As crises financeiras, econômicas e políticas sucedem-se sem parar.

Muita gente está preocupada e confusa quanto ao futuro que ela e os seus filhos terão.

Muita gente já não tem confiança nos líderes políticos e vota em partidos alternativos somente para protestar.

Esse mundo precisa de um sistema político e econômico alternativo baseado no respeito dos valores humanos.

Carta aberta aos líderes

Estimado líder:

O mundo está cada vez mais instável e confuso. Parece ter perdido a sua direção, não sabendo para onde ir. São várias as crises econômicas e políticas que afetarem quase todos os países.

Cada vez, a história parece repetir-se e nada muda em essência. Uma grande parte da população mundial viu piorar sua situação, especialmente os mais pobres.

Alguns dos mais severos problemas nesse mundo (como as guerra e a migração) devem-se em parte a essa falta de direção. Isso afeta não só os países desenvolvidos, senão também todos os outros.

Queremos pedir-lhe que leia esse artigo atentamente e que se junte aos líderes de todos os países para ajudar a implementar o Plano global da Paz. Também poderia chamar-se o Plano de Sobrevivência da Terra.

Se você não estiver convicto, queremos convidar você a visitar os nosso site www.danellandia.org para ver como Danellândia e esse plano foram formados no dia 28 de março de 2004. Sim, já alguns anos atrás e antes da primeira grande crise financeira.

É hora de construirmos um mundo melhor e mais justo para todos. Agora.

Desejamos que essa geração seja conhecida nos livros de história como a geração que salvou o mundo e não como a que o arruinou.

Plano de salvação terá que ser um plano global de substância

A crise atual não é só uma crise econômica. É uma crise de toda a sociedade. É uma crise global e mundial.

A razão principal dessa crise é a falta de humanidade em muitos campos de atividade humana, assim como a obsessão excessiva com o dinheiro e com as coisas materiais. Essa obsessão, que tornou muita gente cega para certos princípios e valores, originou vários tipos de violência. Algumas pessoas estão dispostas a fazer qualquer coisa para obterem sempre mais dinheiro. Outras até cometem violência extrema e matam ou mutilam a outras pessoas.

A degradação da Natureza é violência, visto que o respeito à Natureza é um valor humano de base. A poluição deliberada da Natureza é um crime contra a humanidade. Por que continuar a queimar combustíveis fósseis, quando todos sabemos que isso fere a Natureza e a gente tão gravemente?

Em muitos países e regiões se fazem guerras para defender um sistema sócio-econômico e político que é imperfeito e que causa danos, dado que não tem os fundamentos corretos. Alguns desenvolvem e usam armas letais para impor esse sistema aos outros. Algumas dessas armas são tão potentes que podem pôr em perigo a vida nesse planeta.

A pobreza é uma forma de violência também. Muita riqueza baseia-se na pobreza de tantos outros. Muitos países são ricos em matérias primas, mas mesmo assim continuam sendo pobres. Isso pode talvez ser aceitado em certos sistemas econômicos, mas não num sistema baseado na humanidade. 

A exploração comercial é outra forma de violência. Muito dinheiro acumula-se à custa de pessoas que não têm alternativa do que comprar produtos daqueles que detêm o monopólio desses produtos. Muitas vezes, os consumidores dependem deles. A humanidade vê essa exploração como abuso de poder.

Essa lista poderia completar-se com outros tantos exemplos. Tudo ilustra que o nosso mundo se encontra numa crise que não é somente financeira. É uma crise de humanidade ou, em outras palavras, da falta de humanidade.

Vários líderes já disseram que somos a última geração q poder salvar esse mundo. Em Danellândia escrevemos isso já em 2004, quando lançou a sua campanha de paz e de humanidade.
Por isso, não é suficiente combater a crise financeira. Todo tipo de atividade humana deve ser analisada e receber uma injeção de humanidade. O plano de salvação tem que ser um plano global de substância.

Abaixo, repassamos algumas ideias para restabelecer ou fomentar os valores humanos e para instaurar a paz para a Natureza e para o Homem. As ideias não são exaustivas.

Plano global da Paz 

A degradação da Natureza deve ser reduzida urgentemente e drasticamente. O desenvolvimento de energias limpas deve ser uma prioridade absoluta. Os combustíveis fósseis devem ser substituídos o mais cedo possível. Deveria criar-se o USE ou United for the Survival of the Earth. Todos os países deveriam contribuir com a sua melhor inteligência, a sua mais avançada tecnologia e o seu poder financeiro para desenvolverem energias limpas. Os membros mais ricos da sociedade deveriam participar financeiramente também. O dinheiro gastado na exploração do Espaço e em certas experiências científicas deveria – em parte – ser dirigido ao USE. A Terra precisa de energia limpa agora mesmo e fica pouco tempo.

Todos os oceanos fora da zona das 200 milhas e os dois pólos deveriam ser declarados a propriedade de toda a Humanidade. A exploração deve ser regulada de maneira responsável e tem que beneficiar toda a Humanidade e não só uns poucos países ou indivíduos. Mais em www.oceansforall.org.

As razões detrás das guerras e dos conflitos devem ser tratadas de maneira mais extensa e mais séria. O atual sistema sócio-econômico e político deve ser substituído por um sistema baseado na humanidade ou no summum bonum – ou seja o bem supremo que se atinge pela máxima aplicação dos valores humanos. Esse sistema chama-se o sumonismo.

A pobreza – frequentemente a razão detrás das guerras e do terror – tem que se combater mais fundamentalmente e com mais seriedade. Os países ricos deveriam dedicar mais do que o 0,7 por cento dos seus ingressos (muitos países nem dedicam 0,7 por cento) à ajuda e ao desenvolvimento dos países pobres. O ensino deveria ser uma prioridade. O comércio equitativo e preços honestos para as matérias primas são outras duas prioridades.
A humanidade ou os valores humanos devem ser promovidos pelo ensino, pela mídia e por outros canais. A violência não se pode mais ver como um tipo de entretenimento. Os meninos não devem mais aprender que têm que ser duros, senão que a paz oferece muitos benefícios agora esquecidos. As crianças devem aprender a reagirem à violência de maneira pacífica e também a controlarem a violência dentro de si mesmas.

As religiões deveriam condenar todo tipo de violência categoricamente e considerar como prioridade a reconciliação entre as opiniões divergentes sobre Deus. As crenças religiosas não deveriam ser razões para fazer guerras ou semear o terror. Deus representa a paz e a humanidade, a paz sendo o respeito dos valores humanos. Por conseguinte, defender os valores humanos significa defender a Deus.

A nossa sociedade deve aprender que a riqueza material não te faz destacar realmente. A solidariedade e a generosidade são qualidades a desenvolver e a preferir. A sociedade tem que entender que menos significa mais: menos materialismo e mais felicidade.

A nossa sociedade deve dar a todos o sentimento de pertencer a ela. Não deveria impor expectativas absurdas e idealizadas da perfeição. Isso reduziria a frustração nos jovens e nos adultos. Reduziria o número de problemas psicológicos, o uso de drogas e a violência. 

O uso de substâncias químicas artificiais nos alimentos põe em perigo a saúde das pessoas e da Natureza. Deve reduzir-se o uso dessas substâncias e terminá-lo quanto antes. O uso desses químicos para esconder a baixa qualidade dos ingredientes é totalmente inaceitável.

A criação duma nova moeda mundial – o ético – acabaria com o poder exagerado dos especuladores nesse mundo. Permitiria retirar do mercado o “dinheiro sujo” obtido através do uso de violência de todo tipo. Os paraísos fiscais têm que ser reformados e “solidarificar-se”.

São algumas ideais para o Plano global da Paz. Nas “cartas objetivo” (a maioria em inglês) e baixo “projetos” no site principal são desenvolvidas outras mais.

A crise atual é bem séria. Mostra claramente os defeitos dos princípios que mantém a sociedade de hoje – muitos deles controlados e dirigidos excessivamente pelo dinheiro. A crise não se poderá resolver se não se promoverem os valores humanos ou a humanidade em todos os campos da sociedade e mundialmente.  Somente poderá ser resolvida se todos os países colaboram, sem distinção de raças, culturas, ideologias políticas ou religiões.

O planeta Terra precisa desse plano global da Paz. Todos precisamos dele. Todos temos que mostrar que nos importam as pessoas e a Natureza e que estamos dispostos a contribuir a esse plano para mudar e salvar esse mundo.

Visite por favor também www.globalpeacecharter.org para mais informações.

Muito obrigado pela sua atenção e melhores cumprimentos,

Danellândia 

SOBRE DANELLÂNDIA

Danellândia foi criado em 28 de março de 2004. Baseia-se em discussões sobre esse mundo e os seus problemas com pessoas de diferentes países, culturas, religiões e idades. 

Danellândia definiu 25 valores humanos como base da sua campanha para fazer esse mundo melhor e mais justo.

Danellândia promove esses valores em muitos campos de atividade humana: a política, a economia, as relações pessoais, os cuidados da Natureza…

Você pode ajudar compartilhando esse site.

Torne-se danellandiano ou amigo da Paz promovendo esses valores e a paz.

Esse mundo precisa de pessoas e de líderes que valorizem mais a humanidade do que o dinheiro e o poder. Pessoas e líderes que unam em vez de dividir e criar tensões e conflitos.

Os valores humanos fortes são o passaporte para um futuro sustentável.

O mundo da Paz é possível!

NEWSLETTER

PRIVACIDADE: os seus dados ficam em Danellândia

CONTATO

PRIVACIDADE: os seus dados ficam em Danellândia

© Danellandia 2020